Tag: poema

Inscrição

Eu sou uma palavra, sou um signo, sou um código. Fui escrito pela minha história, pela história dos meus país, dos meus avós e dos meus irmãos. Sou uma artimanha da minha própria malandragem – produto precoce da fuga e da transgressão. Sou o ímpeto do desejo, a indiscrição da vontade,eu sou o vício, a virtude e a rejeição da régua. Sou um espaço que se pronuncia e canta: estou aqui, ali e onde não posso sequer estar. Não sei das coisas, apenas aprendo sobre como me mover no meio delas – eu me aprendo e depois me ignoro. Amanheço sonolências e vou para a cama de madrugada insone – um pesadelo me observa da janela. Tenho acessos de poesia […]

LEIA

Eu não te amo, eu nunca vou…

Eu não te amo,eu nunca vou te amar. Todos os poemasde amor são iguais.Cono são iguaisos filmes,as cançõese os casamentos. O amor é o maior crime de plágio da Humanidade. Amores sãosedentários,conservadores,ciumentos,mesquinhos,inseguros,iram-se facilmente. O amor justifica qualquer violência,reivindica o direito de mutilar. Não conhece a liberdadenem a beleza da solidão;não entende a magia da distâncianem a suavidade da ausência.Não compreende que viver é viajar. Por isso eu não te amo,por isso eu nunca vou te amar. Quero a poesia nova do acontecimento.Quero as histórias não contadas,os sons que ninguém ouviu.Nosso lar é aonde vamos,ali não há esperança nem futuro,tudo é ensaio, tudo é desejo — o sorriso louco dos alegres sem causa ‎– o lirismo da dor de quem sangra […]

LEIA